"REPARTIR COM OS DEMAIS POVOS O QUE TEMOS RECEBIDO COM FARTURA É O QUE DEUS ESPERA DE CADA UM, ESPECIALMENTE SE CONSIDERARMOS QUE ELE NOS ABENÇOA PARA QUE OUTROS TAMBÉM SEJAM ABENÇOADOS POR MEIO DAS BÊNÇÃOS QUE TEMOS ALCANÇADOS."

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

CONHEÇA PAPUA NOVA GUINÉ

Papua-Nova Guiné (geografia e imagens incriveis)

Continente: Oceania
Nome Completo: Estado Independente de Papua Nova Guiné
Localização: Oeste da Oceania
Coordenadas: 6 00 S, 147 00 E
Limites: Países limítrofes:Indonésia
Capital: Port Moresby
Governo: Monarquia Parlamentarista
Moeda: Kina
Área: 462.840 km2
Nacionalidade: Papuásia ou Papua
População: 5.172.033 (julho/2002)
Mortalidade: 56,53 mortes a cada 1.000 nascidos vivos (2002)
Vida: 63,83 anos
Ponto Culminante: Monte Wilhelm. 4.509 m
Religiões: Cristianismo 96%, Crenças Tradicionais 2%, Bahaísmo 1%, Outras 1%
Idiomas: Inglês Pidgin, Motu e mais 715 Dialetos
Analfabetismo: 46%
Renda: US$ 810 (2001)





Nome oficial:

Estado Independente de Papua Nova Guiné (Papua New Guinea/Papua Niugini).

Nacionalidade: papuásia ou papua.

Data nacional: 16 de setembro (Independência).

Capital: Port Moresby.

Cidades principais: Port Moresby (188.089), Lae (80.655), Madang (27.057), Wewak (23.224), Goroka (17.855) (1990).

Idioma: inglês, inglês dialetal, motu (oficiais), línguas regionais.

Religião: cristianismo 96,6% (protestantes 58,4%, católicos 32,8%, anglicanos 5,4%), crenças tradicionais 2,5%, bahaísmo 0,6%, outras 0,3% (1980).
GEOGRAFIA DE PAPUA NOVA-GUINÉ
Localização: oeste da Oceania.
Área: 462.840 km2.
Clima: equatorial.
Área de floresta: 369 mil km2 (1995).

POPULAÇÃO DE PAPUA NOVA-GUINÉ
Total: 4,8 milhões (2000), sendo papuas 84%, melanésios 15%, outros 1% (1996).
Densidade: 10,37 hab./km2.
População urbana: 17% (1998).
Crescimento demográfico: 2,2% ao ano (1995-2000).
Fecundidade: 4,6 filhos por mulher (1995-2000).
Expectativa de vida M/F: 57/59 anos (1995-2000).
Mortalidade infantil: 61 por mil nascimentos (1995-2000).
Analfabetismo: 24% (2000).
IDH (0-1): 0,542 (1998).


POLÍTICA DE PAPUA NOVA-GUINÉ
Forma de governo: Monarquia parlamentarista.
Divisão administrativa: 20 províncias.
Principais partidos: do Progresso do Povo (PPP), Pangu, Movimento Democrático do Povo (PDM), da Ação do Povo (PAP), Congresso Nacional do Povo (PNC).
Legislativo: unicameral - Parlamento Nacional, com 109 membros eleitos por voto direto para mandato de 5 anos.
Constituição em vigor: 1975




TERRITÓRIO DESCONHECIDO

Poucos paises têm um nome tão longo e complicado quanto Papua Nova Guiné. Quando os primeiros exploradores portugueses chegaram na ilha a chamaram "Ilhas dos Papuas", "a ilha dos cabelo-enrolado", que vem da palavra malaia "papuwah". A ilha de Nova Guiné foi dividida em três partes: a britânica, a alemã e a holandesa. Quando os australianos passaram administrar a parte britânica chamaram-na território de Papua.

Papua Nova Guiné é um paraíso de culturas milenares submersas entre a espessa vegetação, alheia ao rítmo do ocidente, e as modernas e próximas cidades. É realmente o último canto do mundo aonde chegaram os europeus em seus percursos colonizadores. De fato, algumas partes de seu território ainda não tiveram contato com a cultura ocidental. Assim é como tem-se mantido o virginal estado natural em suas entranhas mais recônditas. Esta mistura de tradição e modernidade, de natureza e cultura, propõe ao viajante um atrativo singular. A viagem a este canto do mundo irá por-lhe em contato com tradições fascinantes, em um espaço natural que não poderá esquecer jamais.

ALFÂNDEGA E DOCUMENTAÇÃO
Para ingressar a Papua Nova Guiné é necessário apresentar o passaporte e dispor de um visto. É provável que seja requerida sua passagem de saída, assim como, a demostração de posse de recursos financeiros suficientes para a estadia.

DIFERENÇA HORÁRIA
Em Papua Nova Guiné há uma diferença horária de 10 horas a mais com respeito ao GMT. Por estar tão perto do Equador, as horas de sol são as mesmas que as horas da noite: amanhece às 6 da manhã e o sol se põe às seis da tarde.

IDIOMA
O idioma oficial é o inglês, embora também fala-se outros idiomas como o inglês-pidgim e o motu; este último está muito propagado na parte sul da Papua Nova Guiné e Port Moresby. O pidgim é um idioma neo-melanésio muito parecido ao que fala-se em Vanuatu e nas Ilhas Salomão. Existem também outras numerosas línguas Papuas e melanésias (perto de 750).




RELIGIÃO
A maioria da população é protestante (58,4%), embora conviva com outros habitantes que professam diversas religiões como os católicos (32,8%), os anglicanos (5,4%) e os animistas (2,5%); além disso há uma minoria de cristãos nativos e budistas.

ELECTRICIDADE
A corrente elétrica é de 240 volts a 50 Hz. Alguns hotéis contam com corrente de 110 volts.

MOEDA E CÂMBIO
A moeda oficial é o Kina, dividido em 100 toea. Kina é o nome da moeda tradicional de concha do mar utilizada anteriormente e era o indicador comum da riqueza do indivíduo. Existem notas de 2, 5, 10, 20 e 50 kinas e moedas de 1, 2, 5, 10, 20 e 50 toea e de 1 kina.

Não está muito utilizado o uso dos cartões de crédito; aliás, se são recebidas por alguns locais, especialmente os mais turísticos. Os mais aceitos são o Americam Express e a Diners Club. Não é comum a utilização de cheques de viagem, pelo que recomendamos pensar em utilizar dinheiro em efetivo.

EMERGÊNCIA-SAÚDE-POLICIAMENTO
Não existem vacinas obrigatórias para ingressar no país. É aconselhável a vacina contra a febre amarela, a profilaxia contra a malária e viajar provido de um seguro médico e de assistência. O número telefônico gratuito para ambulâncias é o 000. O telefone do Hospital Geral de Port Moresby é o 24.81.00. Em geral os serviços médicos são bons, mas nas povoações mais longíquas podem ser escassos ou quase nulos. É aconselhável viajar tendo previsto a contratação de um seguro médico.

CORREIOS E TELEFONIA
O serviço postal funciona através das escritórios, pois não há carteiros. Embora o serviço telefônico esteja limitado às principais povoações, este é bastante funcional. As conexões são automáticas e diretas entre as principais cidades. Não existem prefixos provinciais. Para ligar a Papua Nova Guiné da fora do país há que marcar 00, o indicativo do país 675 e o número do assinante (não existem prefixos de cidades).


HORÁRIO COMERCIAL
Os escritórios estatais abrem às 8 horas e fecham às 16 horas. Atendem de segunda-feira à sexta-feira. O resto das escritórios tem um horário similar.
Os bancos abrem de segunda-feira a quinta-feira das 9 às 14 horas, e sexta-feira das 9 às 17 horas. Os comércios abrem de segunda-feira a sexta-feira entre às 7 e 8 horas às 17 horas. Alguns abrem aos sábados pela manhã. Os centros oficiais estão abertos entre 8 e 16 horas.
GORJETAS
Como em alguns países da zona, gorjetas serão bem recebidas, embora não é costume oferece-la.


TAXAS E IMPOSTOS
Existe uma taxa de aeroporto de 10 a 15 kinas, aproximadamente. Na maioria das províncias aplica-se um imposto entre o 2 e o 7 por cento sobre os preços dos artigos. Os hotéis mais caros e certos restaurantes são os únicos locais a incluir este tipo de taxa no total da conta do consumo.


FLORA E FAUNA
Aproximadamente 85% de Papua Nova Guiné está coberta de extensos bosques. Das 9.000 espécies de plantas que são originárias do lugar, umas 200 são árvores que encontram-se sobretudo, nas terras baixas da selva úmida. A ilha é popularmente conhecida sobretudo pelas 700 espécies de aves de todas as cores e tamanhos. Ai encontram seu lar 38 das 43 espécies das maravilhosas aves do paraíso que há no mundo; desde enormes pássaros, pombas coroadas do sul, até as mais pequenas, os loros pygmy. O ambiente tropical também é própricio para a população de repteis, onde existem mais de 200 espécies, incluindo duas de crocodilos e 13 espécies de tartarugas, assim como, diferentes espécies de serpentes.
O brocho de ouro desta riqueza animal constituem os insetos, pois existem milhares de espécies incluindo as maiores borboletas do mundo, a famosa Queem Alexandra's Bridwing. Alguns insetos como o escaravelho verde costuma ser ultilizado como enfeite, por parte dos locais e estabelecimentos em geral.
Também pode-se encontrar as seguintes espécies: a águia de Nova Guiné, o cabeção ou a tartaruga boba; o canguru arborícola de Goodfellow; o crocodilo de estuário, sub espécie biporcatus; o dugong dugong, que é a única espécie viva da família Dodongidae; o falcão imitador; a coruja dourada; a pomba de Palau; o petrel das tormentas de Markham e a tartaruga verde.

HISTÓRIA
Provavelmente, a vida deste país seja uma das que tem maiores significados em relação a dificuldades dadas aos historiadores e antropólogos, pois muitos dos vestígios originais tem sido arrasados pela força da impetuosa natureza. A inacreditável capacidade da exuberante vegetação tem sobrepovoado inclusive os efeitos deixado no solo pela Segunda Guerra Mundial. Ainda assim, existem dados argumentando que os primeiros habitantes da Papua chegaram provavelmente, há 30.000 anos, quando a terra da ilha ainda formava parte do continente.
Os malaios se estabeleceram para o ano 1350 na costa oeste da ilha, e os primeiros europeus chegariam no século XVI. Papua Nova Guiné, foi duas vezes batizada, e por isso seu nome é tão comprido. Primeiro os portugueses a chamaram a "ilha dos cabelo-enrolado", Ilhas dos Papuas, do malaio "papuwah", depois os alemães a denominaram Nova Guiné, por parecer com a Guiné africana. Posteriormente, espanhóis holandeses, e ingleses, também tomaram parte nesta conquista.
Ao longo dos anos tem-se propiciado numerosas ondas de imigrantes provenientes das regiões asiáticas e a prova clara disto é a mistura das línguas asiáticas, com as originárias da região.
Já no século XIX, a ilha foi dividida em três partes: A ocidental ocuparam os holandeses, ao norte os alemães e ao sul os ingleses. No século XX a parte britânica foi entregue a Austrália, a qual após a I Guerra Mundial ocupou a zona alemã. Durante a II Guerra Mundial Japão ocupou a maior parte da ilha. Após as guerras européias, Austrália administra o território sob o controle da ONU.
Após uma série de processos de autonomia Papua Nova Guiné consegue a Independência em 1975 dentro do marco da Mancomunidade britânica. O Tratado do Estreito de Torres de 1978 resolve as fronteiras marítimas, e em 1987 os governos de Papua Nova Guiné e Indonésia, dona da outra parte da ilha, assinaram um acordo que delimita suas fronteiras.

GASTRONOMIA
Além do taro, inhame e bananas, acompanhados de arroz ou peixe, a base da alimentação do país é o sagú ou o saksak. Trata-se de um extrato de fécula que costuma ir acompanhado do suco de palmeira. Nas Terras Altas se consome preferencialmente os kaukau, espécies de batatas doces que foram incorporadas à dieta da zona, após os espanhóis traze-las da América do Sul. Dentro dos pratos de melhor sabor, destaca o soto daging, uma deliciosa sopa de carne com especiarias. É costume cozinhar em uns fornos construidos dentro da terra chamados mumu, para guisados de carne. Na capital encontrará uma extensa oferta de restaurantes, onde servem comidas francesas, vietnamita, chinesa, japonesa, tailandesa, indonésia, filipina e hindú.

Bebidas
Consomem-se sobretudo sucos de frutas. Porém, na capital do país pode-se beber, não sem certa dificuldade, as principais marcas das bebidas internacionais. Embora a água é potável, é aconselhável beber só água engarrafada.

COMPRAS

Na maioria das povoações poderá comprar artesanato. O aconselhável é dirigir-se aos centros culturais. Entre os produtos mais típicos encontram-se os bilums, bolsas típicos feitos de corda e as máscaras rituais, especialmente das Ilhas Trobriand, criadas em madeira talhada com diversos motivos e adornos de ébano. Outros dos produtos mais solicitados são a olaria do povoado de Aibom, perto dos Lagos Chambri, os instrumentos musicais, especialmente tambores como os garamuts e os kundus, cestaria como a de Buka, tecidos com tintas naturais e algumas armas tradicionais, como flechas e lanças.

ENTRETENIMENTO

Numerosas tribos irão convidá-lo a participar ou assistir a seus rituais de danças e cânticos. Não perca. Poderá também fazer numerosas excursões e ascensões, especialmente no famoso caminho de Kokoda. Para quem gosta do rafting, Papua Nova Guiné conta com excitantes rápidos, como o de Watut, perto de Bulolo e ocasionalmente no rio Waghi, na Província de Simbu.
Os amantes do submarinismo encontrarão um paraíso de águas transparentes e belos arrecifes de coral, entre as numerosas ilhas. Existem instrutores nos principais lugares. E continuando com os esportes náuticos, no país pode-se praticar desde pesca, surfing, windsurfing até navegação a vela. Outra das atividades mais recomendadas são as excursões para descobrir e acercar-se aos misteriosos vulcões. Em Papua Nova Guiné há determinados lugares propícios para o campismo.

FESTIVIDADES

Os dias festivos oficiais são o 1 de Janeiro Ano Novo, Sexta-Feira da Paixão, Segunda-Feira da Páscoa, 13 de Junho Aniversário da Rainha, 21 de Julho Dia da lembrança, 16 de Setembro Dia da Independência, 25 e 26 de Dezembro Natal. Além destes eventos "oficiais", no país celebram-se diversos Festivais e Eventos Folclóricos de grande colorido, música e ambiente.
Cada uma das províncias de Papua tem o seu próprio dia provincial instaurado oficialmente.
O dia 22 de Fevereiro celebra-se o Dia provincial de Nova Irlanda, e o Kaveing Show. O dia 20 desse mesmo mês leva-se a cabo o Dia provincial do Ouro. Entre junho e agosto celebram-se festas tradicionais como o Yam Harvest Festival (Trobriand Ilhands), o Port Moresby Show (meados de junho), os Dias oficiais da Província Central (meados de junho), Morobe (julho), Milne (7 de Julho), Madang (começo de agosto), Manus (agosto), Simbu (agosto), Highlands (agosto).
Também levam-se a cabo as festividades do Remembrance Day (principalmente em Port Moresby), o Rabalul Frangipani Festival, comemorando o crescimento das primeiras flores, após a erupção do Matupit o dia 23 de Julho de 1937.
No outro meio ano tem lugar festas como o Goroka Show (começo de setembro), os dias provinciais de East Sepik (16 de Setembro), Enga (outubro), Nova Bretanha do Oeste (outubro), Província do Golfo (1 de Dezembro) e Província do Oeste (6 de Dezembro). Também festeja-se o Hiri Moale (um festival onde vêem-se aparecer canoas de comércio papuano), o Malangam Festival e o Milne Bay Show (todos estes, no dia 16 de Setembro). Finalmente, o Tolai Waragira (Rabaul) faz um convite entre outubro e novembro e é um festival de duas semanas de sing-sings e outros eventos.

TRANSPORTES

Avião
Há várias companhias aéreas que garantem as conexões locais dentro das diferentes regiões da Papua Nova Guiné, incluindo as ilhas. As conexões entre as ilhas são realizadas Air Niugini, Talair, Douglas Airwais e MAF.

Barco
Existe uma extensa rede marítima para percorrer a região e os serviços são regulares. As principais cidades da costa estão ligadas entre si e com as ilhas mediante serviços regulares de barcos (Lutheram Shipping, Burns Philp Shipping, Pacific New Guinea Line e Coastal Shipping Company Pty Ltd

Carro
As estradas não são, em geral, muito boas embora as que ligam os centros mais importantes estejam em melhor estado. Poderá alugar um veículo através das companhias operantes no país. Em determinadas zonas é necessário utilizar veículos de terreno. Lembre que em Papua Nova Guiné circula-se pela esquerda e o limite de velocidade no país é de 50 quilômetros por hora, em territórios da cidade e de 100 quilômetros. por hora, em províncias.

Táxi
Encontrará pelas ruas com facilidade, e nos aeroportos. É conveniente acertar o preço antes de iniciar o trajeto, caso o táxi não tenha taxímetro.





ARTE E CULTURA

Ao abandono de certos costumes, o povo Sepik, tribos da zona do rio Sepik, conserva uma cultura original. Estes homems têm desenvolvido um inacreditável senso artístico, baseado na luta pelo prestígio da população masculina das tribos, o qual levava-os ao combate ou à realização de obras de arte.
Os Huli constituem um dos grupos indígenas mais peculiares do país. Sua população está composta por umas 80.000 pessoas morando nos arredores do rio Tagari e seus afluentes, a uma altitude que oscila entre os mil e os dois mil metros em uma zona conformada por territórios de origem vulcânica e muito fértil.
A onda de civilização chegou de maneira brusca, mas embora pareça inacreditável, não tem realizado muito efeito sobre eles.
Exceto em algumas ilhas como as Trobriand, toda a sociedade em Papua Nova Guiné carece de um sistema de chefia ou de castas hereditárias, mas um individualismo agressivo mantém a idéia da igualdade. Existe entre os homems adultos uma constante concorrência para ganhar prestígio, julgando cada um, segundo seus logros. As unidades políticas são pequenas e geralmente estão formadas por um povoado só ou em algumas zonas das terras altas, por uma simples agrupação de idéias muito dispersa.
Os chefes ativos destas unidades políticas recebem o nome de "Grandes Homens" cujas opiniões exercem grande influência dentro da comunidade. Na realidade, o prestígio de um "Grande Homem" ou "Bigman" costuma vir das relações com outros grupos, tanto amigos quanto inimigos. Nestas relações os Grandes Homens podem contar com o apoio incondicional de seus próprios grupos dos que são os únicos representantes. Por toda a ilha, as rivalidades não só manifiestam-se na luta entre povos, mas também nas trocas de porcos e produtos agrícolas.
Os indígenas costumam construir casas para seus espíritos. Utilizam madeira, fibras vegetais, casca e folhas da palmeira. A elaboração é complicada. Ali aparecem os espíritos de seus antepassados, considerados necessários para seu destino, para ter boas safras e sucesso em todos os terrenos. Estas construções de mais de 20 metros de altura, dão testemunha de uma técnica arquitetônica muito elaborada. Dentro destas casas costumam ter painéis de madeira onde os espíritos dos antepassados aparecem rodeados de cálaos de enorme bico e crocodilos mostrando os dentes.





POVOS

Cerca de 1000 povos, que falam 816 linguas. A nação mais complexa do mundo, tanto étnica como linguisticamente, cujas culturas foram moldadas pela geografia, pelas imigrações sucessivas, pela feitiçaria, pelo medo e pela guerra e, mais recentemente, pela cristianismo, pelo colonialismo, pela Segunda Guerra Mundial e pela modernização.


MELANÉSIOS: 99%. Muitos grupos tribais. Mais da metade representa menos de 1000 deles na população. Maiores:
Enga, 235000;
Chimbu 185.000;
Melpa 104.000
Huli 91.000
Kamano 90.000
Total: 89.000

Wahgi 80.000
Sinasina 76.000
Boikin 53.000
Kapau 54.000

Outros: 1% Polinésios, Caucasianos, refugiados de Papua Ocidental, 7.000

Alfabetização: 43% - Língua oficial: Inglês, Línguas nacionais, Tok Pisin (melanésio, inglês crioulo) usado no centro, no norte cada vez mais no sudoeste, e motu no sul.
Total de Línguas: 816 Línguas com as Escrituras.





POVOS E REGIÕES COM NECESSIDADE ESPIRITUAL ESPECÍFICA.

Poucos povos desta nação não são alvo de trabalho missionário ou não evangelizados, mas existem muitos grupos e regiões com necessidades específicas:

a) Grupos de povos não alcançados. Só agora algumas tribos estão sendo descobertas em partes isoladas do país, como as Montanhas Estrela, na fronteira oeste de Papua, e alguns vales e pântanos em Fly e Rio Sepik.
b) Seguidores do culto cargo. Dos grupos de povos influenciados pelos cultos cargo, alguns se voltaram para o cristianismo bíblico. Ore por estes bolsões onde estes cultos ainda estão fortemente entrincheirados, como em algumas partes da Ilha Manus, onde a Liebenzell Mission trabalha, Bougainville e província de Madang.
c) Assentamentos em terras desocupadas. Um número crescente de pessoas vive neste assentamentos fora das cidades e dos centros urbanos. Estes locais são pobres e cheios de agitação social.
d) Prisioneiros. Eles são muito abertos ao testemunho cristão. A Prison Fellowship International tem um ministério bem estabelecido que está levando esperança e bênçãos para muitos.
e) Chineses. A comunidade de comerciantes chineses já está na terceira ou quarta geração em PNG, e ainda é muito resistente ao Evangelho.
f) Programa de Tradução e Alfabetização e o suprimento de literatura cristã adequada, são fundamentais para a aculturação do Evangelho. Ore por este ministério com tantas necessidades e pelos que estão comprometidos com sua realização. A SIL/WBT, a Sociedade Bíblica e a Associação de Tradutores da Bíblia, estão envolvidas em mais de 170 projetos de tradução e cerca de 160 línguas têm atualmente, uma Bíblia ou NT. Existe uma grande necessidade de equipes de tradução em 133 línguas e possivelmente, em outras 466.


24 comentários:

  1. tãti quando vc menos espera kkkkkkkk

    ResponderExcluir
  2. eu achei esse texto o maximo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. jeremias,gostei das fotos.

      Excluir
  3. Muito bom! Gostei muito deste artigo! Interessantíssimo!!!

    ResponderExcluir
  4. gostei muito bom!!! prescisa de missionarios.porque esta nação as as 4 hrs da tarde, de sexta feira o ceu fica vermelho,amarelo ,e verde, eles acenden incencios ao diabo. toda a nação, a buda , hare krishna,maomé e outros.

    ResponderExcluir
  5. gostei muito deconhecer um pouco da cultura de PAPUA NOVA GUINÉ.
    PRESCISA DE URGENCIA DE MISSIONARIO , PORQUE EM PAPUA NOVA GUINÉ TODA A NAÇÃO, ADORA AO DIABO COM CEUS RITUAIS, ELES ASCENDEM INCENSO TODOS OS DIAS AS 4 DA TARDE AO DIABO,A BUDA, HARE KRISHAN E A MAOMÉ O CEU FICA VERMELHO, AMARELO, E VERDE,MAIS DE 95% não conhecem a JESUS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daiane, de onde você tirou a brilhante idéia que a Papua Nova Guiné precisa de missionários? Seu comentário é tão estúpido, burro e preconceituoso.

      ass. Ana Ligia

      Excluir
    2. Arrasou ana ligia assvictoria

      Excluir
  6. amei isso..muito interessante a historia de papua nova guiné...

    ResponderExcluir
  7. "Nosso desafio não é de criar cristãos, mas de criar pessoas honestas, humanas, solidárias, compassivas,RESPEITOSAS DA NATUREZA DOS OUTROS. Se conseguirmos isso é o sonho de Deus realizado." Leonardo boff

    ResponderExcluir
  8. "Nosso desafio não é de criar cristãos, mas de criar pessoas honestas, humanas, solidárias, compassivas,RESPEITOSAS DA NATUREZA DOS OUTROS. Se conseguirmos isso é o sonho de Deus realizado." Leonardo boff

    ResponderExcluir
  9. enquanto estamos rodiados de coisas interesantes eenchergamos as coisas como queremos,por que estamos com a barriga cheias, bem vestidos,bem causados echeios de palavras bonitas, a povos[almas]que nao queriam muito, mas apenas este amor de que tanto falamos.sera que estamos preparados para amalos?''amai uns aos outros como eu vos amei''

    ResponderExcluir
  10. muito bom escorega la vai um

    ResponderExcluir
  11. O PODER ECONÔMICO,A GANÂNCIA DO "HOMEM CIVILIZADO" ESTÁ ACABANDO COM O PRÓPRIO E ESCRAVIZANDO MUITAS VIDAS INCLUA-SE A ISSO OS GRANDES LABORATÓRIOS QUE PRODUZEM MEDICAMENTOS E NÂO PERMITEM O USO DAS CÉLULAS TRONCO....A ESCRAVIDÃO CONTINUA E O GENOCÍDIO TAMBÉM.....

    ResponderExcluir
  12. Nossa incrível, acho que a origem de minha família é de lá, pois A maior concentração com esse sobrenome é de lá, mas ainda assim carece de informações. Além disso, não temos os traços étnicos, o que me dica mais confuso. O moderador o alguém teria informações que envolvam laços entre o Brasil e a Papua Nova Guiné?!

    ResponderExcluir
  13. ESTRANHO COMO LINGUAS LOCAIS NAO FOI CITADO O UNSERDEUTSCH COMO IDIOMA LOCAL PRESERVADO COM SUAS DISPOSICOES CULTURAIS DE SEUS LACOS COM SUA LINGUA ORIGINARIA MATERNA NESSA FUSAO IDIOMATICA FORMANDO ESTA LINGUA KREOLE ASSIM COMO TEMOS NO CARIBE NO CONTINENTE AMERICANO TEMOS ESSA QUE E UMA FUSAO DO IDIOMA ALEMAO COM EXPRESSOES NATIVAS LA PRESERVADAS ASSIM COM O IDIOMA PORTUGUES NO TIMOR NO MESMO CONTINENTE DA OCIANIA QUE MESMO COM A INVASAO JAPONESA CONSEGUIU SE MANTER ATE HOJE

    ResponderExcluir
  14. Gostaria de saber mais sobre a cultura germanica remanecente na ilha de nova pomerania neu pommerland e seu intercambio para sua preservacao multicultural nesse recanto do globo

    ResponderExcluir
  15. Gostaria de saber se ha intercambio com o goethe institut para preservacao do idioma alemao como feito no timor com o portugues mantendo o multiculturalismo

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante, faça-o aquí.