"REPARTIR COM OS DEMAIS POVOS O QUE TEMOS RECEBIDO COM FARTURA É O QUE DEUS ESPERA DE CADA UM, ESPECIALMENTE SE CONSIDERARMOS QUE ELE NOS ABENÇOA PARA QUE OUTROS TAMBÉM SEJAM ABENÇOADOS POR MEIO DAS BÊNÇÃOS QUE TEMOS ALCANÇADOS."

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

BELEZA DOS POVOS QUÉCHUAS E AIMÁRAS

Os povos quéchuas e aimará, descendentes dos Incas, começaram a ressurgir após séculos de opressao privação, grande pobreza e isolamento. O quéchua foi reconhecido como língua oficial em 1975. A Igreja Quéchua cresceu rapidamente, à medida que o cristianismo finalmente se tornou nativo nas Escrituras, nas estruturas, na adoração e na música. Vilarejos inteiros se voltaram para Cristo. Ore por:

Milhões de quéchuas e aimarás que moram nas montanhas, que ainda estão amarrados a supertições pagãs de origem "cristã". Muitos migraram para as cidades durante a guerra.

A tradução da Biblia tem sido o fator principal do renascimento do quéchua e do crescimento da Igreja.







A denominação quíchua se apoia nos povos que falam o quíchua, os quais vivem na região da Cordilheira dos Andes, na América do Sul, em países como Argentina, Bolívia, Chile, Equador e Peru.

Exemplo de alguns povos quíchuas:

* Incas
* Chancas
* Huancas
* Cañaris
Os quichuas, ou quechuas, são descendentes diretos dos incas, e habitaram a Colômbia, Equador, Bolívia, Argentina e Chile. O Estado regional Inca surge na região de Cuzco com o colapso da cultura Aimara e Tiwanaku, no século XII. Representam 30% da população boliviana, poucos falam castelhano e vivem em completa miséria.

O quíchua (qhichwa simi ou runa simi), também chamado de quechua ou quéchua, é uma importante língua indígena da América do Sul, ainda hoje falada por cerca de dez milhões de pessoas de diversos grupos étnicos da Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador e Peru ao longo dos Andes. Possui vários dialetos inteligíveis entre si. É uma das línguas oficiais de Bolívia, Peru e Equador.














O quíchua era falado na região central dos Andes desde bem antes da época do Império Inca, o qual adotou a mesma como oficial da administração. Ainda é falado hoje, na forma de vários dialetos, por cerca de 10 milhões de pessoas, sendo o idioma nativo mais falado na América do Sul. Distribui-se sua influência no Peru, centro e sudoeste da Bolívia, sul da Colômbia e do Equador, noroeste da Argentina e norte do Chile
Vários vocábulos originais da língua entraram nas línguas modernas através do espanhol, tais como coca, condor, guano, gaúcho, inca, lhama, pampa, batata (esta de papa para papata e patata), puma, vicunha etc.

As quantidades de falantes variam com as fontes. Os números mais confiáveis vêm dos censos de Peru (1993) e Bolívia (2001), embora provavelmente são sub avaliados, por falta de maiores dados. Por exemplo, o ultimo censo do Equador (2001) registrou 500 mil falantes para o quíchua e o kichwa juntos, enquanto que há fontes que dão conta de 1,5 a 2,2 milhões de falantes.

VIVEM PRINCIPALMENTE NOS ALTIPLANOS DA BOLIVIA E PERU !!!










A cultura quíchua é descendente da inca e habita principalmente a região andina (Equador, Peru e Bolívia). Cerca de 15 milhões de pessoas em sete países (Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Chile, Equador e Peru) falam esta língua, das quais quase a metade vive em seis departamentos do Peru, país onde o quíchua é um dos três idiomas oficiais junto com o castelhano e o aimara.

Os quíchuas destacam a comunidade como forma de vida. Em matéria religiosa mantêm um sincretismo entre a tradição inca e o cristianismo. Os aimaras compartilham território com os quíchuas, mas sua maior concentração fica na Bolívia, no Peru, no norte do Chile e na Argentina.















O quíchua (qhichwa simi ou runa simi), também chamado de quechua ou quéchua, é uma importante família de línguas indígena da América do Sul, ainda hoje falada por cerca de dez milhões de pessoas de diversos grupos étnicos da Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador e Peru ao longo dos Andes. Possui vários dialetos inteligíveis entre si. É uma das línguas oficiais de Bolívia, Peru e Equador.











O quíchua era falado na região central dos Andes desde bem antes da época do Império Inca, o qual adotou a mesma como oficial da administração. Ainda é falado hoje, na forma de vários dialetos, por cerca de 10 milhões de pessoas, sendo o idioma nativo mais falado na América do Sul. Distribui-se sua influência no Peru, centro e sudoeste da Bolívia, sul da Colômbia e do Equador, noroeste da Argentina e norte do Chile.















História
Desde bem antes da ascensão do Império Inca, no século XV, os diversos dialetos quíchuas eram largamente disseminados na região. Os incas adotaram oficialmente o dialeto dito "clássico" ou do sul. Com a expansão do império por conquistas, esse dialeto se tornou a língua franca do Peru pré-Colombiano, mantendo essa condição mesmo depois da conquista pela Espanha no século XVI.

Antes da chegada dos espanhóis e da introdução do Alfabeto latino, a língua Quéchua não tinha forma escrita. As informações numéricas eram registradas pelos incas por meio de quipos" (cordões coloridos de lã, com diversos nós). Os registros escritos mais antigos do quíchua são do frei Domingo de Santo Tomás, chegado ao Peru em 1538 que aprendeu o idioma desde 1540, publicando sua Grammatica o arte de la lengua general de los indios de los reynos del Perú em 1560.

Muitos consideram o quíchua como uma língua do grupo quechumaran, junto à Língua aimará, principalmente pelo fato de ambas línguas terem muitas palavras em comum. Essa proposta apresenta controvérsias, pois, se os cognatos são bem próximos (mais próximos até que cognatos “intra-quechas”), o sistema de afixos é bem diferente. As similaridades podem se dever mais ao contato entre os falantes das duas línguas, do que a origem comum. O quíchua foi espalhado para mais além das fronteiras do Império Inca pela Igreja Católica que a escolheu para sua pregação entre os índios. Onde os povos quíchua e aimará convivem, os falantes do espanhol dão preferência aos termos quíchuas. Na Bolívia, no sul rural, há inclusive palavras quíchuas que são usadas mesmo pelo que falam só wawa ("criança"), michi ("gato"), wasca ("barbante", ou "puxar com força");











Hoje o quíchua é língua oficial no Peru e na Bolívia, junto com o espanhol e o aimará. A maior dificuldade para o uso mais corrente e ensino do quíchua é a falta de material escrito, tais como jornais, livros, revistas, softwares etc. As modernas tecnologias de informática vêm dificultando mais ainda o uso do idioma. Tanto o quíchua como o aimará e as demais línguas indígenas sobrevivem na linguagem oral.

Vários vocábulos originais da língua entraram nas línguas modernas através do espanhol, tais como coca, condor, guano, gaúcho, inca, lhama, pampa, batata (esta de papa para papata e patata), puma, vicunha etc.















7 comentários:

  1. MUITØ ŁØKØ ISSØ MΛИ

    ResponderExcluir
  2. todo o trabalho exposto é maravilhoso e as fotográfias de uma riqueza...

    ResponderExcluir
  3. Que blog interessante e que lindas fotos!:))))

    ResponderExcluir
  4. podia contar mais sobre o povo em si

    ResponderExcluir
  5. Mtoo bom me ajudou muito no trabalho de Geografia

    ResponderExcluir
  6. Mto bom me ajudou muito no trabalho de Geografia

    ResponderExcluir
  7. Bravo!!! me sinto, como voltasse no tempo. Sou descendente desse povo com certeza. Muito especiais pra mim. Obrigada pelo trabalho postado. Maravilhoso. Parabéns.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante, faça-o aquí.