"REPARTIR COM OS DEMAIS POVOS O QUE TEMOS RECEBIDO COM FARTURA É O QUE DEUS ESPERA DE CADA UM, ESPECIALMENTE SE CONSIDERARMOS QUE ELE NOS ABENÇOA PARA QUE OUTROS TAMBÉM SEJAM ABENÇOADOS POR MEIO DAS BÊNÇÃOS QUE TEMOS ALCANÇADOS."

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

POVOS DA ETNIA BROKPA - DA REGIÃO DO LADAKH

O Ladaque ou Ladakh constitui uma região situada no sudeste da Ásia Central, dividida entre a Índia, o Paquistão e a República Popular da China.

O Ladakh indiano (parte oriental) é o maior distrito do estado de Jammu e Caxemira, situado na sua parte oriental, ocupando uma superfície de 59.343 km², metade da superfície deste estado. Entretanto, é um dos distritos menos populosos do país, com uma população de 132.299 habitantes (1981). Conhecida como “Pequeno Tibete” , é famoso pelas suas paisagens montanhosas e pela sua cultura budista tibetana. Sua capital é a cidade de Leh.

O Paquistão controla o segmento ocidental desde a primeira guerra Indo-Paquistanesa. Os chineses ocuparam a extremidade da parte oriental desde a guerra Sino-Indiana de 1962.

É a região habitada mais alta do mundo. Seus limites são a cordilheira do Himalaia no nordeste e no sudeste e a do Karakoram no norte. A região é extremamente árida. Várias espécies selvagens de ovelhas e cabras vivem nas montanhas.

Os povos do Ladakh descendem dos mongóis. As zonas norte e leste têm maioria budista, enquanto os muçulmanos predominam no sul e no oeste. A língua é o ladakh, um dialeto tibetano. O cultivo básico é o grim, uma variedade da cevada. O iaque e a cabra-de-Chang-Thang são os principais gados nativos. A região é rica em recursos minerais, embora grande parte ainda não tenha sido explorada








HISTÓRIA
Ladakh foi um reino independente de religião budista. No século XVII, devido a uma ruptura das suas relações com o Tibete, o quinto Dalai Lama invade o reinado, porém, com a ajuda de Caxemira, a sua soberania é restaurada, com o custo de o rei se converter ao Islamismo e a construção de uma mesquita na sua capital, Leh. A Caxemira terminará por invadir o reino, pondo fim à sua independência, provocando deste modo a sua futura integração ao domínio colonial britânico, formando a Índia britânica.

O território original do reino agora está divido entre a Índia, o Paquistão e o Aksai Chin, um distrito conquistado pela China após a Guerra Sino-Indiana de 1962.



GEOGRAFIA
Ladakh é o distrito da Índia com as altitudes mais elevadas: uma grande parte do seu território excede os 3.000 m. O território faz parte do Karakoram e do Himalaia, bem como do vale superior do rio Indo. O Ladakh histórico era formado de várias regiões distintas, a maior parte atualmente sob administração indiana:

o vale superior do Indo, uma região pouco povoada;
os vales afastados do Zanskar, ao sul, e o de Nubra, ao norte onde se encontra a via transitável mais elevada do mundo ( 5.602 metros de altitude);
o Aksai Chin, sob administração chinesa, praticamente deserto;
os vales de Kargil e Suru ao oeste, com uma população maioritariamente xiita, onde se situa Kargil, a segunda cidade mais populosa de Ladakh;
a região de Skardu, sob administração paquistanesa e de população inteiramente muçulmana.






POPULAÇÃO
Ao contrário do restante de Jammu-Cachemira que é principalmente muçulmana, o Ladakh é uma região majoritariamente budista, a maioria de filosofia Mahayana. Como consequência, existe no Ladakh um grande número de monastérios budistas.

A maioria dos habitantes da região fala o ladakh, um dialeto próximo do tibetano.

A população é de aproximadamente 260.000 habitantes, sendo uma mistura de muitas etnias, principalmente tibetanos, mons e dards. A cultura é muito similar à tibetana.

Até os anos 1950, a educação formal em Ladakh era quase nula, restrita às compas (monastérios). Geralmente, um filho de cada família era obrigado a dominar a escrita tibetana para ler os livros sagrados.

Em 1994, iniciou-se em Ladakh uma campanha para revisar o sistema de instrução primária nas escolas do governo. Em 2001, como resultado desta campanha, a taxa de matrícula já havia se elevado a 50%. Uma faculdade do governo foi aberta em Leh, permitindo os estudantes adquirir uma instrução de nível superior sem ter que abandonar Ladakh.





A Lingua Balti é falado principalmente pela Baltis de Jammu e Caxemira . A língua da tribo e derivam seus nomes do Baltistan, uma região de vales, alimentada pelo rio Indo , no Himalaia . A linguagem é uma variação da antiga língua tibetana. No entanto, Balti presente é uma mistura de Tibete, Caxemira , Burushaski, turco e urdu línguas. A primeira referência histórica para a linguagem pode ser encontrada nas obras de Ptolomeu (século 2 aC). Balti tem todas as características lingüísticas da língua tibetana. É considerado um dos dialetos mais ocidental da língua tibetana. É também a única língua que pertence ao ramo Tibeto-Burman da sino-tibetana Grupo de idiomas. Originalmente, Balti não tinha um roteiro, a comissão aprovou o roteiro do Tibete no século 8. Modern Balti está escrito no alfabeto árabe, como as tribos Balti, na sua maioria se converteu ao Islã.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante, faça-o aquí.