"REPARTIR COM OS DEMAIS POVOS O QUE TEMOS RECEBIDO COM FARTURA É O QUE DEUS ESPERA DE CADA UM, ESPECIALMENTE SE CONSIDERARMOS QUE ELE NOS ABENÇOA PARA QUE OUTROS TAMBÉM SEJAM ABENÇOADOS POR MEIO DAS BÊNÇÃOS QUE TEMOS ALCANÇADOS."

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

FESTIVAL INDIGENA EM PAPUA NOVA GUINÉ

Perdida entre os vales da ilha de Papua Nova Guiné, a pequena cidade de Mount Hagen se transforma anualmente no palco de um dos mais extraordinários festivais indígenas do mundo.

Aproximadamente 40 mil pessoas, nativas de todas as regiões da ilha, chegam a Mount Hagen para desfilar, dançar e expor as facetas mais elaboradas de suas indumentárias ritualísticas e tradicionais. Longe de ser um festival turístico, não passam de 200 os estrangeiros, o encontro foi criado em 1961, com o objetivo de promover maior harmonia entre tribos essencialmente guerreiras de origens e idiomas diferentes. Os habitantes de Papua Nova Guiné vivem em pequenas regiões isoladas umas das outras, por uma geografia muito acidentada, entrecortada de montanhas, vales, mar e rios. Cada núcleo tem sua língua, sua tradição, seu domínio. São locais de tão difícil de acesso, que algumas dessas tribos foram contatadas pela primeira vez por brancos há apenas 30 anos atrás. Todas juntas falam mais de 800 idiomas e dialetos, concentrando nessa ilha do Pacífico uma terceira parte de todos os idiomas indígenas do mundo. Guerras tribais eram muito freqüentes até algumas décadas atrás e a violência, principalmente entre os habitantes das montanhas, era lugar comum, incluindo práticas de canibalismo.





Os três dias do Sing Sing provocam um verdadeiro delírio dos sentidos. Para o estrangeiro, o maior impacto sem dúvida é visual. Cada detalhe apresenta uma nova surpresa: pinturas corporais nas suas mais variadas expressões; cabeças enfeitadas por perucas naturais e plumas de majestosos pássaros endêmicos, como as aves do paraíso; enfeites criados por uma infinidade de materiais naturais, de sementes a folhas, conchas a pedras, óleos e cinzas; além do efeito dos conjuntos e coreografias com profundas raízes ancestrais. É Arte natureza em todo seu esplendor!
Terra de mitos, lendas e magia, Papua Nova Guiné, através da expressão de cada uma de suas etnias, engrandece o patrimônio cultural da humanidade. E mesmo que o nosso único contato com esse mundo sejam imagens como essas, elas mostram a criatividade e a riqueza de uma integração natural que pode inspirar um maior respeito à natureza.














2 comentários:

  1. muito interessante!!
    muitas pessoas não dão valor a cultura indígena.. mas é uma das mais puras e facinantes que existem! temos muito que aprender com diferentes culturas e realidades.
    papua nova guiné patrimonio da humanidade em biodiversidade

    ResponderExcluir
  2. Marilia Gabriela6 de julho de 2012 10:17

    Uma Cultura Muito rica, queria muito conhecer de perto..
    Pena que muitas pessoas ignorem ou sinta preconceito.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante, faça-o aquí.