"REPARTIR COM OS DEMAIS POVOS O QUE TEMOS RECEBIDO COM FARTURA É O QUE DEUS ESPERA DE CADA UM, ESPECIALMENTE SE CONSIDERARMOS QUE ELE NOS ABENÇOA PARA QUE OUTROS TAMBÉM SEJAM ABENÇOADOS POR MEIO DAS BÊNÇÃOS QUE TEMOS ALCANÇADOS."

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

BIKANER - A CIDADE DO TEMPLO DOS RATOS

video

Bikaner, a cidade do templo dos ratos Bikaner é uma cidade oasis entre vegetação e dunas de areia. A antiga muralha da cidade retêm um ar medieval, enquanto do lado de fora dos muros, palácios e mansões permanecem. Uma conhecida e próspera rota turista, Bikaner é a rota para Jaisalmer vindo de Jaipur ou Shekhawati, no Estado do Rajastão.     

Bikaner foi fundada como um reino independente em 1488 por Rao Bikaji, o filho mais novo do fundador de Jaipur, Rao Jodha.     

Esta cidade não seria muito conhecida não fosse, talvez, o fato de estar nesta cidade um templo dedicado a adoração aos ratos. O templo dos ratos O templo de Karni Mata, a cerca de 33 Km no Sul de Bikaner em Deshnoke, no Estado do Rajastão, e é considerado um dos locais santos dos hindus na India.

O templo de Karni Mata foi construído no século 17 e no príncipio do século 20 o Marajá Ganga Singh adicionou o portão de prata e mármore branco a fachada do templo, o qual dedicou a Karniji, uma mística que, segundo eles, viveu no século 15 e que eles consideram uma encarnação de Durga.

Uma galeria do templo descreve sua vida. Os hindus a chamam deusa Karni Mata. Ela era filha de um ‘Charan’ do século 16 e que se casou aos 27 anos. Depois de seu casamento ter sido dissolvido, ela tornou-se uma ‘sanyasinand’ (uma errante ascética) e teria dedicado sua vida para o serviço dos pobres.     

Para os hindus, este templo não é apenas o local onde habita a deusa Karni Mata, mas também os bem alimentados ratos (chamados kabas) que são grandemente reverenciados.

Neste templo, ratos são adorados e alimentados com doces e leite, visto que os hindus crêem que, os corpos dos ratos são casas para as almas dos devotos de Kanri Mata que já morreram.

Como os ratos se tornaram “santos” para os hindus     

Os hindus dizem que uma vez Karni Mata tentou restaurar a criança morta de um contador de história de volta a vida, mas falhou porque Yama, o deus da morte, já tinha recebido a alma do menino e reincarnado-o numa forma humana.

Karni Mata, famosa por seu legendário temperamento, foi tão afetada pela sua falha que ela anunciou que ninguém de sua tribo cairia nas mãos de Yama novamente. Ao invés, quando eles morressem, todos eles habitariam temporariamente o corpo de um rato, antes de ser reincarnado dentro de sua tribo novamente.

Portanto, os ratos são considerados como encarnações dos contadores de história e são muito reverenciados.

Motivos de oração:    
Ore para que Deus abra o entendimento destas pessoas e que seus olhos espirituais sejam abertos para conhecerem o único Deus Vivo e Verdadeiro. A sua oração pode fazer a diferença nas regiões celestiais sobre a India!    

Ore para que o Senhor Jesus seja entronizado sobre esta nação e todas as potestades das trevas sejam postas por terra.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

OREMOS PELOS MISSIONÁRIOS ENTRE OS POVOS INDIGENAS

Há grave necessidade de um efetivo missionário maior em quase todas as frentes missionárias indígenas, tanto para manter o trabalho valorosamente começado anos ou décadas atrás, bem como iniciar novos trabalhos onde há oportunidades, mas poucos recursos humanos.
Devemos orar por aqueles que já estão no campo há algum tempo, sejam veteranos e pioneiros ou mais jovens e recém-chegados. Que o Senhor os sustente dando ânimo novo e forças renovadas.
Também pela provisão para cada projeto missionário. Os últimos anos têm sido marcados por um desejo de novos grupos ou comunidades indígenas de ouvir a Palavra de Deus. Muitos apelos, porém, ficam sem resposta, pois não há quem vá.
Também na retaguarda, atuação de base, trabalhos especializados de apoio e consultorias há grave carência de maior presença missionária.
Não há presença missionária em 147 etnias indígenas no Brasil, sendo 95 conhecidas, 27 isoladas e 25 a pesquisar.
Devemos orar por novos missionários que:
(1) tenham compromisso com Cristo e a obra missionária entre os povos indígenas;
(2) estejam desejosos de se envolverem com desafios e programas de médio e longo prazo;
(3) sejam aptos ao aprendizado de uma nova língua e cultura; (4) tenham forte desejo de se envolverem com o universo indígena de forma integral;
(5) sejam aprovados segundo a Palavra de Deus (1 Timóteo 3).

Oremos
1. Pelos missionários em seus campos e ministérios, por forças novas e ânimo no Senhor. Por um bom relacionamento com a equipe de trabalho e também com o indígena.

2. Pelas famílias missionárias, boa saúde, vida em família e criação dos filhos no Senhor. Também por provisão pessoal para os projetos familiares.

3. Por novos missionários, relacionamento com suas igrejas enviadoras e agências missionárias, provisão para suas vidas e início de ministério e, sobretudo, vida com Deus e clara direção do Alto para o próximo passo.

4. Por discernimento quanto ao trabalho e perseverança para os novos missionários. Por um bom relacionamento com a equipe de trabalho e com o indígena.

5. Por facilidade no aprendizado de língua e compreensão da cultura com a qual se relaciona. Por amor a Cristo e aos indígenas com os quais trabalha. Por alegria no ministério.

sábado, 5 de novembro de 2011

OREMOS PELA IGREJA INDÍGENA NO BRASIL


A Igreja Indígena é um movimento crescente em nosso país e, possivelmente, maior do que se imagina. Os últimos congressos de indígenas evangélicos promovidos pelo CONPLEI, com milhares de participantes, mostram um pouco desta realidade.

Esta igreja está presente, em diferentes níveis de representação, em 150 etnias, possuindo igreja local com liderança própria em 51 e sem liderança própria em 99.

Há presença missionária evangélica em 182 etnias indígenas, representando mais de 30 agências missionárias evangélicas e quase 100 diferentes denominações.

Há 16 seminários e cursos bíblicos no Brasil com ênfase no preparo indígena e 3 movimentos nacionais de iniciativa e coordenação indígena evangélica:
o Conselho Nacional de Pastores e Líderes Evangélicos Indígenas (CONPLEI),
a Associação de Mulheres Evangélicas Indígenas (AMEI) e
a Associação Indígena de Tradudores Evangélicos (AITE).

Há 121 etnias pouco ou não evangelizadas, ou seja, aquelas em que não há presença missionária evangélica nem mesmo crentes na etnia.

Outros fatores, como acesso a outras etnias evangelizadas e dispersão demográfica, também foram considerados nesta categoria.

Destas 121 etnias pouco ou não evangelizadas, 74 habitam áreas viáveis, mais abertas politicamente.

O restante se divide entre áreas parcialmente restritas (13) ou totalmente restritas (34).

Dentre as 150 etnias com presença evangélica indígena, 99 não possuem liderança própria e, destas, 54 não dispõem de acesso a nenhum programa de ensino bíblico.

Isto demonstra que a Igreja indígena está em franco crescimento, porém não há proporcional desenvolvimento do ensino e treinamento, o que pode gerar graves problemas como sincretismo e nominalismo.

Oremos para que a Igreja Indígena, juntamente com as agências missionárias, possam também efetivamente trabalhar no combate ao alcoolismo, consumo de drogas, infanticídio e violência contra a mulher entre as etnias do nosso país. São problemas sérios que demandam compromisso de longo prazo.

Oremos
1. Pelo crescimento e amadurecimento da Igreja indígena.
2. Pelo treinamento de novos líderes indígenas, especialmente entre os 99 grupos sem liderança evangélica própria.
3. Pelo CONPLEI, AMEI e AITE.
4. Pelos líderes indígenas nacionais como Henrique Terena, Edson Bakairi, Eli Tikuna, Jaison de Souza, Jonas Reginaldo, Leonísia Firmo, Luiz Terena e Paulo Nunes, além de vários outros preciosos irmãos.
5. Para que a Igreja indígena se torne mais e mais missionária

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

OREMOS PELOS INDÍGENAS NO BRASIL



OREMOS PELOS INDÍGENAS DO BRASIL
O Brasil indigena é formado por 228 etnias conhecidas e oficialmente reconhecidas, 27 isoladas, 10 parcialmente isoladas, 9 possivelmente extintas (sem comprovação conclusivas, 41 ressurgidas e 25 ainda a pesquisar, totalizando 340 grupos. A população aproximada em 2010 é de 616.000 indigenas. Dentre estes, 52% habitam em aldeamentos e 48% em regiões urbanizadas ou em urbanização. Cerca de 60% da população indigena brasileira habita a Amazônia Legal, composta pelos estados do Amazonas. Acre, amapá, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins, Mato Grosso e parte do Maranhão. A partir das leituras de movimentos demográficos, porém, esgtima-se que em 5 anos o número dos que vivem em aldeias será equivalente aos que vivem nas pequenas e grandes cidades. A partir de 2015 a quantidade de indigenas habitando centros urbanos será, certamente, maior e em gradural aumento. Neste universo de diversidade e multiculturalidade encontram-se as 121 etnias pouco ou não evangelizadas. São aquelas a que o evangelho de Cristo, ainda nao chegou, ou foi comunicado apenas a uma parte do grupo. Este têm sido um dos alvos de oração e também de esforço missioário. O DAI-AMTB (Departamento de Assuntos Indigenas da Associação de Missões Transculturais Brtasileiras) reúne 41 agências missionárias filiadas, as quais abrigam missionários vinculados a mais de 120 diferentes denominações evangélicas. Juntamente com outros movimentos parceiros, como o CONPLEI 9Conselho Nacional de Pastores e Líderes Evangélicos Indigenas), há uma crescente atenção neste presente desafio de comunicar o evangelho de Cristo aos que ainda não o conhecem.

MOTIV OS DE ORAÇÃO:

1. Pelos grupos indigenas do Brasil e os complexos processos de manutenção de identidade, lingua e cultura em meio a uma sociedade envolvente.

2. Pelas graves carên ias sociiais, especialmente em educação, saíude e subsistência, que atingem mais de 70% dos grupos indigenas em nosso país.

3. Pelos 37 grupos vivendo em risco de extinção.

4. Pelos 121 grupos pouco ou não evangelizados, para que ouçam a respeito de Cristo.

5. Por 500 novos missionários que possam colaborar com as iniciativas em curso e se envolver com a tarefa ainda inacabada.