"REPARTIR COM OS DEMAIS POVOS O QUE TEMOS RECEBIDO COM FARTURA É O QUE DEUS ESPERA DE CADA UM, ESPECIALMENTE SE CONSIDERARMOS QUE ELE NOS ABENÇOA PARA QUE OUTROS TAMBÉM SEJAM ABENÇOADOS POR MEIO DAS BÊNÇÃOS QUE TEMOS ALCANÇADOS."

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Marido ameaça se divorciar de mulher que comeu coxa de frango
No Zimbábue, a tradição é que as mulheres deixem as partes mais nobres das aves para os homens comerem

FlickR de Diana (di_the_huntress)/Wikimedia Commons O marido já avisou que vai se divorciar dela se algo assim acontecer outra vez
Sabe quando a sua avó coloca o peru na mesa no dia de Natal e rola a maior briga pra ver quem vai ficar com os melhores pedaços?
No Zimbábue, a tradição diz que as mulheres devem deixar para os homens a partes "nobres" da ave, como coxa e peito.
Por conta disso, um marido ameaçou se divorciar da mulher, que havia comido, justamente, o peito e a coxa de um frango.
Jabulani Ncube, de 40 anos, ficou tão bravo que chegou a agredir a mulher, Nomusa Sibanda, de 24 anos.
Ela fugiu para a casa de sua avó, mas, no dia seguinte, Jabulani foi atrás dela e a levou a um tribunal.
Jabulani acusou a mulher de ser desrespeitosa e de não ter valores culturais.
Considerada culpada, Nomusa teve que dar um frango novo ao marido.
A avó da moça também foi considerada culpada, já que não a teria ensinado direito os "bons costumes".
Jabulani avisa que vai se divorciar da mulher se ela fizer algo do tipo outra vez.

sábado, 20 de outubro de 2012

FESTIVAL VEGETARIANO NA THAILANDIA

O fotógrafo Dario Pignatelli fotografou para a Reuters o Festival Vegetariano que acontece na Tailândia.

A comunidade local acredita que a abstinência de carne e vários estimulantes durante o nono mês lunar do calendário chinês vai ajudá-los a obter uma boa saúde e paz de espírito. Eles celebram o festival perfurando sua própria pele, realizando rituais e caminhando sobre brasa quente.

O festival vegetariano de Phuket, na Tailândia, é, definitivamente, para quem tem estômago forte. Durante oito dias, a comunidade chinesa da cidade se abstém de carne, sexo e álcool.

A grande questão é que, em um dos rituais do evento, homens rasgam o próprio rosto com os mais variados objetos, como facas, furadeiras, fuzis, espetos e até guarda-chuvas.

Os participantes acreditam que ao infligir dor a si mesmos estão absorvendo toda a energia ruim da região, fazendo com que ela não afete outros moradores.

Estes homens são conhecidos como "mah songs", algo como "cavalos dos deuses". Além do dilacerar de faces, o festival também inclui atos como correr sobre brasas e outras ações extremas.

A título de curiosidade, reza a lenda que a origem do festival remonta à visita de uma trupe da ópera chinesa a Phuket. Os artistas adoeceram de repente, e apenas uma dieta vegetariana rigorosa conseguiu salvá-los.  

Confira, abaixo, imagens de festivais anteriores. Um aviso: as cenas são fortes.





















As celebrações do Festival Vegetariano de Phuket arrancaram na segunda-feira e prosseguem até à próxima terça. Os rituais, que levam alguns dos participantes a entrar em transe, incluem oferendas de alimentos e bebidas aos deuses, perfurações faciais e a explosão de elementos pirotécnicos no meio das procissões, o que acaba por ser o elemento mais perigoso do festival.
No ano passado, uma pessoa morreu e outras 74 ficaram feridos durante o festival, que se realiza anualmente no nono mês do calendário chinês, atraindo à ilha tailandesa milhares de participantes vindos da China e de outros pontos da Ásia.
Trata-se de uma celebração da comunidade chinesa sobre os méritos da 'limpeza do corpo', nomeadamente através de uma alimentação vegetariana prática, para a obtenção de boa saúde e paz de espírito.
Apesar das origens do festival não estarem comprovadas, a crença popular é que foi levado para a ilha por membros de uma companhia de teatro-ópera chinesa que apanharam malária quando ali em digressão.
Conta-se que, por isso, decidiram aderir a uma rigorosa dieta vegetariana e rezar aos deuses do Nono Imperador Chinês pela purificação da mente e do corpo e que conseguiram todos recuperar totalmente.
Ao longo dos anos, a espetacularidade das práticas levadas a cabo no festival tem se acentuado.












O evento – bem colorido e que acontece durante nove dias entre setembro e outubro – celebra a crença da comunidade chinesa de que a abstinência de carne durante o início do nono mês do calendário chinês resultará em boa saúde e paz de espírito.
Durante os nove dias os participantes devem se comprometer a estarem com o corpo limpo, vestir branco, evitar sexo e álcool, comportar-se bem física e mentalmente, não dividir utensílios de cozinha com pessoas que não participam da festa e, claro, não comer carne. Pessoas de luto e mulheres grávidas ou menstruadas não podem participar.
Há vários aspectos interessantes no festival, mas o que mais chama a atenção é a cerimônia em que os devotos invocam os deuses andando sobre o fogo, colocando pierciengs e realizando outros atos de autoflagelação.
Homens e mulheres furam suas bochechas com vários itens, como revólveres, facas, espadas, agulhas, espetos para churrasco ou qualquer outro objeto pontiagudo que estiver à mão. Eles creem que os deuses os protegerão de qualquer dano através do sacrifício.
As origens da comemoração não são muito claras, mas é provável que ela tenha sido trazida aos moradores da ilha de Phuket por um grupo de ópera chinês que foi acometido por malária enquanto se apresentava no local.